Introdução

Objetivos gerais

A Unesco tem como objetivo assegurar que todos os países, tanto desenvolvidos quanto em desenvolvimento, tenham acesso ao que há de melhor em educação, de forma a preparar os jovens a viverem plenamente seu papel na sociedade moderna e contribuírem ativamente para a geração de riquezas.

A tecnologia da informação (TI) tornou-se, em um curto espaço de tempo, um dos alicerces básicos da sociedade industrial moderna. O entendimento da TI e o domínio de suas habilidades e conceitos são agora considerados por muitos países como parte do seu núcleo de educação, ao lado da leitura e da escrita. Esta área de estudo recebe o nome abrangente de informática.

Com o intuito de fornecer ajuda concreta e pratica a todos os países que integram a Unesco, foi solicitada a Federação Internacional de Processamento de Informação (IFIP) a especificação de um currículo de informática para a educação secundária, com base na experiência de seu grupo de trabalho especializado (GT 3.1) e com subsídios de outros especialistas convidados. O currículo foi projetado de forma a poder ser implementado integralmente em todo o mundo, para estudantes em idade escolar equivalente ao nível secundário.

Todos os projetos governamentais que visam prover uma educação mais abrangente para todos os cidadãos devem levar em conta os recursos financeiros disponíveis.

Devido a importância central da tecnologia da informação nas sociedades modernas, a introdução da informática nas escolas secundárias devera ser prioridade em qualquer agenda política. Este documento fornece uma abordagem pratica e realística para o currículo de informática, o qual pode ser adotado rapidamente, a um custo mínimo.

 

Justificativas para o Aprendizado de Informática

A tecnologia da informação atualmente permeia o ambiente comercial e sustenta o sucesso das modernas corporações, bem como prove os governos com sistemas de serviços a custos efetivos. Ao mesmo tempo, as ferramentas e as técnicas da tecnologia da informação são de grande valor não só nos processos de aprendizagem, como também na-organização e na gerência das instituições de ensino.

 

A tendência de crescimento da demanda por profissionais qualificados fornece uma clara demonstração da necessidade efetiva do aprendizado de informática em todos os níveis (fonte: Schul Computer Jahrbuch, Ausgabe '93/94, Metzler Schulbuch Verlag, página 17):

 

Profissionais de informática (cientistas da computação)

1970: 0,5%, da população profissional

2000: 4% da população profissional

Profissionais de outras disciplinas com qualificação em informática

1970: 1,5% da população profissional

2000: 20% da população profissional

Profissionais competentes no uso de ferramentas da informática

1970: 3% da população profissional

2000: 40% da população profissional

Profissionais sem qualificação em tecnologia da informação

1970: 95% da população profissional

2000: 36% da população profissional

 

Sob a luz desses claros indicativos, torna-se bastante oportuna a iniciativa da Unesco de promover a introdução da informática em todas as escolas secundárias, em todos os países.

A missão do Grupo de Trabalho 3.1 da IFIP de projetar o currículo recomendado foi baseada em sua extensa experiência no efetivo desenvolvimento da informática na educação durante os últimos 25 anos.

 

Tom van Weert, coordenador do Grupo de Trabalho 3.1, da IFIP, para a Educação Secundária.

 

Retornar